Hoje é quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024
Caçador - O melhor da vida é aqui!
InícioSegurançaQuadrilha usava perfil falso de delegado de Caçador para dar "golpe do...
PublicidadeAnuncie no Jornal InformeAnuncie no Jornal Informe

Quadrilha usava perfil falso de delegado de Caçador para dar “golpe do nudes”

A investigação teve início no início de 2023, quando diversas vítimas procuraram a Polícia para informar que estavam sendo “extorquidas” por um perfil falso do Delegado Regional de Caçador

Nesta quarta-feira (24), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal de Caçador, deflagrou a operação “Damas do Golpe”, objetivando o cumprimento de 17 mandados de prisão preventiva e 16 mandados de busca e apreensão domiciliar em nove cidades diferentes, contra uma organização criminosa voltada ao cometimento do crime de extorsão, na modalidade conhecida como “sextorsão” ou “golpe do nudes”.

No total, foram cumpridos mandados nas cidades de Porto Alegre, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Nova Santa Rita, Sapiranga, Tramandaí, Salto do Jacuí e São Francisco de Assis, todas no Rio Grande do Sul. Até o momento, 14 pessoas foram presas e, em seguida, encaminhadas ao Sistema Prisional para os procedimentos de praxe. Por fim, foram empregados mais de 60 policiais gaúchos e catarinenses para o êxito dos trabalhos.

Entenda o caso

O conhecido “golpe do nudes” trata-se de uma espécie do crime de extorsão amplamente difundido em Santa Catarina em que criminosos, após prévio contato e eventual troca de mensagens íntimas por meio de redes sociais, exigem dinheiro das vítimas sob a condição de não prestar queixa ou de não divulgar as referidas fotos para seus familiares e amigos.

No caso específico, a investigação teve início no início de 2023, quando diversas vítimas procuraram a Polícia para informar que estavam sendo “extorquidas” por um perfil falso do Delegado Regional de Caçador. Ao todo, apenas na região do meio oeste catarinense, os criminosos lucraram em torno de R$ 60 mil utilizando a imagem do delegado.

Com o aprofundamento da investigação, foi possível comprovar o envolvimento de diversas pessoas, como também evidenciar a alta lucratividade da atividade ilícita. Como exemplo, entre os meses de julho de 2022 a março de 2023, parte das contas bancárias que receberam valores dos golpes acima citados movimentaram cerca de 2.800.000,00, entre créditos e débitos, o que denota que outras vítimas também foram chantageadas ao longo do tempo.

Adriano Ribeiro
Adriano Ribeiro
Colunista do Jornal Informe, traz informações sobre os bastidores da política e cotidiano de Caçador e da Grande Florianópolis, em duas colunas semanais publicadas aqui e no www.informefloripa.com. Contatos: (48) 99800-5836 | (48) 3733-6977. E-mail: redacao@jornalinforme.com.br
PublicidadeAnuncie no Jornal Informe
ASSUNTOS RELACIONADOS
Publicidade
Publicidade

Leia Também