Hoje é sexta-feira, 24 de maio de 2024
Caçador - O melhor da vida é aqui!
InícioGeralComissão da Câmara aprova exclusão da silvicultura do rol de atividades potencialmente...
PublicidadeAnuncie no Jornal Informe

Comissão da Câmara aprova exclusão da silvicultura do rol de atividades potencialmente poluidoras

FIESC destaca que, se aprovada pelo Congresso, mudança na lei vai melhorar competitividade do setor com a equiparação da atividade à agropecuária, além de reduzir a burocracia para licenciamento ambiental de empreendimentos

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados aprovou, no último dia 9, a retirada da silvicultura do rol das atividades potencialmente poluidoras e utilizadoras de recursos naturais, prevista na Lei da Política Nacional do Meio Ambiente.

Com a aprovação do PL 1.366/22, o setor fica isento do pagamento da Taxa Controle e Fiscalização Ambiental – TCFA e também se beneficia da redução das exigências burocráticas para a implantação de novos projetos de florestas plantadas e demais atividades operacionais associadas.

O presidente da Câmara de Desenvolvimento da Indústria Florestal da Federação das Indústrias de SC (FIESC), Odelir Battistella, avalia como positiva a aprovação na CCJC. “A decisão coloca o Brasil, líder mundial no setor de silvicultura, na mesma base competitiva de seus concorrentes internacionais, já que alinha a posição brasileira à já adotada pelos principais países produtores de madeira de reflorestamento”, explica.

NOTÍCIAS POR WHATSAPP

Se quiser ler em primeira mão as Colunas do Adriano ou receber notícias do Informe Caçador entre no nosso grupo no whatsapp: https://chat.whatsapp.com/GBwTR7BEFoO7JUO6sx2aIp

Para ele, a posição de destaque mundial do Brasil no segmento reflete os investimentos em inovação, pesquisa e desenvolvimento tecnológico financiados pelo setor privado, mas também os recursos associados a investimentos em programas de conservação e restauração.

O setor de silvicultura é responsável pela proteção de 5,9 milhões de hectares de florestas nativas, o que representa 13% das florestas preservadas no país fora de unidades de conservação. Além disso, também contribui para a execução de programas de conservação e restauração de florestas nativas, como a Mata Atlântica e o Cerrado. Nestes programas, a área protegida é equivalente a 63% da área total plantada com espécies exóticas.

Silmara Ribeiro
Silmara Ribeirohttp://www.jornalinforme.com.br
Editora de notícias do Informe Caçador, empresária e mãe.
PublicidadeAnuncie no Jornal Informe
ASSUNTOS RELACIONADOS
Publicidade
Publicidade

Leia Também