Caçador receberá R$ 80 milhões do Plano 1000; rodovia com concreto na região e outras notas

Vereadores o prefeito Saulo Sperotto e o vice Alencar prestigiaram o lançamento do Plano 1000 do governo do Estado em Florianópolis; veja também sobre a ideia do secretário de Estado de Infraestrutura de pavimentar com concreto rodovia na região de Caçador

0
76
Vereadores prestigiando o lançamento do Plano 1000 em Florianópolis, ao lado do deputado Cobalchini

Caçador receberá R$ 80 milhões do Plano 1000

O presidente da Câmara Municipal de Caçador, Moacir D’Agostini (DEM), acompanhado dos vereadores Johny Marcos Tibes de Souza (MDB) e Ricardo Barbosa (PSDB) acompanharam na noite de terça-feira (14), em Florianópolis, o lançamento do maior programa municipalista da história de Santa Catarina, o Plano 1000, do Governo do Estado. O evento contou ainda com a presença do prefeito Saulo Sperotto e do vice Alencar Mendes.

Na oportunidade, o governador Carlos Moisés anunciou o investimento R$ 7,3 bilhões para transformar projetos engavetados em obras estruturantes que promovam o desenvolvimento e mais qualidade de vida.

Para marcar a parceria, nesta primeira etapa, 70 prefeitos foram recebidos pelo governador e por secretários de Estado em um evento especial no Teatro do CIC. Os gestores municipais representam as cidades que, juntas, concentram cerca de 80% da população catarinense.

Pelo programa, os municípios catarinenses receberão recursos equivalentes a R$ 1 mil por habitante. Com isso, Caçador deverá receber nos próximos anos em torno de R$ 80 milhões.

Os recursos serão liberados mediante aprovação dos projetos pelos técnicos do Governo do Estado. É imprescindível que eles contemplem obras estruturantes em áreas como infraestrutura, saúde, educação e desenvolvimento social.

Receita de Caçador para 2022: R$ 309,8 milhões

Os vereadores de Caçador aprovaram na quarta-feira (15) o orçamento do Município previsto para o próximo ano. Segundo o projeto de lei apreciado, a receita estimada para 2022 será de R$ 309,8 milhões.

Deste total os maiores montantes continuam para a educação e saúde, com investimentos de R$ 87,9 milhões e R$ 53,7 milhões, respectivamente.

Para a secretaria de Infraestrutura estão previstos outros R$ 24 milhões. Já na Divisão Segurança Pública os investimentos devem chegar na casa dos R$ 7,3 milhões e na Agricultura e Meio Ambiente R$ 11,8 milhões.

Assistência social deverá ser contemplada com R$ 7,9 milhões do orçamento.

Na secretaria de Cultura, Esporte e Turismo a Administração Municipal pretende aplicar 3,5 milhões, valor parecido com o orçamento para a secretaria de Desenvolvimento Econômico. Já a secretaria de Administração deverá ser contemplada com R$ 9,9 milhões o IPPUC com R$ 2,9 milhões.

Além desses, há previsão de repasses ao IPASC (na ordem de R$ 41,7 milhões), à Câmara Municipal, para pagamentos de juros e encargos, e a outros setores importantes da administração que atingem o valor global do orçamento.

Piso de concreto

Durante a recente passagem oficial do Governador Carlos Moisés, por Caçador, em sua fala, na Câmara de Caçador, o secretário de Estado de Infraestrutura, Thiago Vieira informou que tem planos de licitar a substituição do pavimento asfáltico por pavimento em concreto em rodovias da região de Caçador, que tem grande fluxo pesado de caminhões com madeira. Se não me engano o alvo é a SC-350, no trecho que vem desde a BR-116 em Santa Cecília. A ideia é excepcional especialmente pela durabilidade do piso. É claro que o custo de implantação é bem mais alto se comparado ao asfalto, mas garante um trecho para mais de décadas sem necessidade de remendos. Foi implantado no acesso de Otacílio Costa a BR-282, em Lages, também com grande tráfego pesado de caminhões carregados com madeira. Lá, são mais de 40 centímetros só de concreto, estrada pra muitos anos.

Secretário de Estado de Infraestrutura, Thiago Vieira

Excessos nas cargas

Ainda o secretário de Estado de Infraestrutura, Thiago Vieira, durante a passagem por Caçador, não deixou de puxar a orelha de empresas de transporte e madeireiras de Caçador e região, que abusam do excesso de peso em suas cargas de madeira. Citou como exemplo o acesso de ligação até Macieira que carece de reperfilamento. O detalhe, citou ele, que as crateras e imperfeições saltam aos olhos apenas na pista que vem de Macieira, e pouco são vistas no sentido Macieira. Ou seja, os madeireiros vão com seus caminhões descarregados e voltam com cargas em excesso, prejudicando o asfalto. Um ponto de fiscalização com pesagem ajudaria, secretário.

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome