Transporte de cargas no Aeroporto de Caçador e a decisão que empacou a vacinação contra Covid

Leia mais sobre o projeto audacioso do prefeito Saulo Sperotto (PSDB) de transformar o aeroporto de Caçador apto a receber voos de grandes aviões de carga e o impasse na vacinação contra Covid: enquanto os municípios querem acelerar, o governador Moisés empaca a imunização

0
239

Transporte de cargas via Aeroporto

Em recente bate-papo informal o prefeito de Caçador, Saulo Sperotto (PSDB) revelou-me que o projeto para o Aeroporto Dr. Carlos Alberto da Costa Neves é muito mais amplo que o simples transporte de passageiros. O objetivo é tornar o nosso aeroporto apto em receber aviões de grande porte para transporte de mercadorias.

Faz muito sentido. O transporte de cargas pelo ar cresce mundialmente. Há alguns meses começaram a operar linhas somente de transporte de cargas entre Florianópolis e Miami e o sucesso tem sido esplendoroso. Em Caçador não será diferente. Se carecemos de densidade demográfica para garantir um grande volume de passageiros, quando se fala de mercadorias isso muda.

Caçador e região carecem de uma conexão mais ágil nesse segmento. E tem mercado. Muitas empresas caçadorenses se comunicam e fazem negócios com o mundo todo. Exportam e dependem de insumos e equipamentos de outros pontos do Brasil e partes do mundo. Na região não é diferente. Segundo Sperotto, a adequação do Aeroporto passou pela primeira fase, está na segunda e terá uma terceira.

O anuncio nesta semana do Ministério da Infraestrutura (MInfra), por meio da Secretaria Nacional de Aviação Civil que autorizou a licitação das obras de ampliação do Aeroporto é mais um passo nesse engenhoso processo. Ao todo, serão investidos R$ 13.383.626,65 milhões – recursos do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC) – para a implantação de faixas de pista e áreas de segurança. Recursos muito bem vindo.

Mulher na política

A decisão do juiz eleitoral Gilberto Kilian dos Anjos, de não aceitar representações ingressadas pelo PT e ex-vereador Valmor de Paula, que resultariam na cassação de todos os votos dos candidatos a vereador pelo PP na última eleição municipal e tiraria os mandatos dos vereadores Itacir Fiorese, o Fically e da vereadora Lidiane Cattani fez mais justiça à participação da mulher do que se imagina.

A reclamação era por suposto crime de abuso de poder econômico ou político. Segundo os recorrentes, o PP não teria respeitado a cota feminina na formação da chapa de vereadores no imbróglio de inscrição de uma parente de Fically como candidata faltando poucos dias para o fim do pleito.

Só que, se fossem acatadas, as representações fariam pouca justiça na aplicação severa da lei, mais causariam séria injustiça ao tirar o mandato de uma mulher que foi eleita pelo voto popular. Ou seja, que Justiça seria essa que sob pretexto de fazer valer a cota feminina, suplantaria o mandato justamente da única mulher eleita na Câmara de Caçador. Sem falar que nas vagas de Fically e Lidiane entrariam dois homens (Valmor de Paula e Soró). Sóbria a decisão do meritíssimo juiz Gilberto Kilian. Lembrando que a decisão ainda cabe recurso.

Estado empaca vacinação

Caçador quer acelerar a vacinação contra Covid-19. Não só Caçador, outas cidades também como Lages, Chapecó, Blumenau e a Capital entre diversos outros municípios. Mas, não podem, porque o governador Carlos Moisés (PSL) determinou que o próximo grupo a ser vacinados, o dos professores, só terá início dia 31 de maio.

O problema é que o atual grupo que está sendo vacinado, o de comorbidades, é muito complexo e em alguns municípios, demorará meses para ser concluído. A exigência de atestados e documentações para comprovar as doenças e deficiências, torna o processo até a vacina lento. Também pesa a falta de informação da população. Mesmo com a forte comunicação das prefeituras, muitas pessoas nem sabem ainda que já abriu a vacinação para elas.

Enquanto isso, a vacinação de professores fica adiada por no mínimo mais uma semana. Caçador, por exemplo, tem 2 mil doses de vacina nas geladeiras estocadas. Vacina esta que poderia estar indo para o braços de professores neste final de semana, dando mais um importante passado na imunização. O município chegou a anunciar a vacinação dos professores, mas, teve que voltar atrás após a intransigência do Governo do Estado.

Vagas

Um estudo de viabilidade visando à disponibilização de vagas de estacionamentos aos motoristas de aplicativos para o embarque e desembarque de passageiros na parte alta da Avenida Barão do Rio Branco, especialmente nas proximidades das agências bancárias, foi solicitado em sessão da Câmara dia 10 de maio, pelo vereador Almir Dias (PSDB).

Segundo ele, atualmente são cerca de 300 profissionais que atuam neste ramo em Caçador, e muitos estão com dificuldades em estacionar seus veículos para deixar ou receber passageiros, especialmente os idosos, pela falta de vagas.