Cobalchini garante recursos para Udesc em Caçador; o debate sobre as OSs na Saúde e outras notas

Deputado Cobalchini garantiu no Orçamento deste ano do Estado R$ 2 milhões para a implantação da universidade pública e gratuita no município e o projeto para contratação de Organizações Sociais na área da saúde deve passar na Câmara porque é necessário para a melhoria do atendimento no setor

0
127

Cobalchini garante recursos para implantação da Udesc em Caçador

O sonho da universidade com qualidade e gratuita ficou mais próximo de se tornar realidade em Caçador. O deputado estadual, Valdir Cobalchini (MDB) informou nesta semana que garantiu, em dezembro, no Orçamento do Estado para 2021, uma emenda individual no valor de R$ 2 milhões para a implantação física da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Caçador. A instituição pública oferece cursos de nível superior gratuitos.

Para garantir os recursos o deputado usou de sua habilidade negociando a tramitação com o relator do orçamento, deputado Marcos Vieira (PSDB) e nos demais trâmites da Casa. “Agora a janela financeira está aberta. Em fevereiro começamos implementar com ações”, explica o deputado, que conta com uma maior abertura no governo e com o governador Carlos Moisés (PSL) para viabilizar o quanto antes o início da construção.

O prefeito Saulo Sperotto (PSDB) deverá ser procurado, objetivando o estabelecimento de um convênio para viabilizar o terreno para a construção. A ideia é usar um dos tantos terrenos públicos que o município já dispõe, não sendo necessária a aquisição de novas áreas. Mas, esses detalhes serão esmiuçados com o chefe do Executivo Municipal.

Cobalchini se aproxima mais de tirar do papel aquela que é uma bandeira antiga sua. Há anos o parlamentar busca a implantação da Universidade pública no município, pois entende seu papel social para alavancar a educação superior.

Mas, tudo será feito com muito cuidando. A intenção não será prejudicar a Uniarp, por exemplo. A ideia é que a Udesc oferte cursos que a Uniarp não oferece atualmente, mas que também tenham demanda de profissionais no mercado de trabalho de Caçador e também da Região. Isso porque geralmente onde a Udesc se instala, costuma contemplar com cursos a vocação de toda uma região.

Estradas

Não só o robusto valor para a implantação da Udesc está sendo pleiteado pelo deputado Cobalchini. Ele também garantiu através de emendas individuais, recursos para outras áreas contemplando Caçador e região. Um exemplo são as estradas. Não é de hoje que motoristas reclamam e sofrem com o deplorável estado das rodovias da região. Além de garantir a fonte financeira, o deputado deverá se reunir com o secretário de Estado de Infraestrutura, Thiago Vieira, para traçar uma agenda de rápida recuperação das rodovias da região.

Fica

Ainda sobre o deputado Cobalchini, nesta semana circulou na imprensa estadual um boato sobre a possibilidade de ele vir a assumir uma Secretaria de Estado, mais precisamente o Desenvolvimento Econômico. O deputado admitiu que seu nome está sendo cogitado, mas agiu rápido para negar que tenha aceito e publicou em suas redes sociais.

A informação procede: meu nome vem sendo cogitado, há mais de um ano, não apenas para este cargo, mas para diversos outros na administração estadual. Em todas as vezes que as sondagens chegaram, minha resposta sempre foi a mesma: pretendo exercer o mandato de Deputado Estadual, para o qual fui eleito, até o dia 31 de dezembro de 2022… …é claro que me sinto lisonjeado por ter meu nome lembrado, uma prova de que quando fomos chamados a exercer funções no Governo, o trabalho foi bem executado. Mas como afirmei, pretendo exercer meu mandato até o último dia e então partir para a construção de novos projetos.

Ipasc

Através de Projeto de Decreto Legislativo, a Câmara de Caçador aprovou o nome do servidor público municipal Antonio Carlos Castilho para ocupar o cargo em comissão de diretor-presidente do Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos Municipais de Caçador (IPASC). A aprovação aconteceu durante sessão extraordinária de quinta-feira (14). Ele substitui Elizabeth Olsen, afastada do cargo para tratamento de saúde.

Soró assume na Câmara

O suplente de vereador pelo PSDB, Paulo Sérgio Nazário, popularmente conhecido como Soró, tomou posse como Vereador de Caçador durante sessão extraordinária de quinta-feira (14). Ele substitui o titular da vaga, Amarildo Tessaro, que se licenciou para assumir a Secretaria Municipal de Infraestrutura.

Soró conquistou 510 votos nas eleições municipais de 2020 e assume o cargo pela primeira vez. Durante a sua posse, fez questão de agradecer a oportunidade, destacando que pretende se dedicar para atender as expectativas da população e trabalhar em prol das principais demandas da comunidade.

Organização Social é irreversível

A polêmica da semana em Caçador, além da Covid-19, claro, foi a tentativa do governo Municipal em aprovar o projeto das Organizações Sociais na área da saúde. Alguns vereadores não entenderam bem, e alguns servidores e militantes políticos protestaram e o projeto foi retirado da Câmara. Deve retornar com algumas alterações nesta segunda (18) e irá a votação em fevereiro.

Uma coisa é certa: é um processo irreversível e necessário. Acompanhei na Capital a implantação de OSs na área da saúde. Primeiro foi a ex-prefeita de São José, Adeliana Dal Pont (PSD). Quando assumiu pegou em meia viagem a obra de uma UPA enorme no bairro Forquilhinhas. Terminou a obra, mas, em função das limitações em contratar devido a Lei de Responsabilidade Social (LRF), não poderia colocar o equipamento público para atender a população. Não pensou duas vezes. Passou pela Câmara um projeto semelhante ao que a prefeitura de Caçador faz neste momento. Foi aprovado. Contratou uma Organização Social que administra o funcionamento do estabelecimento. À época falei com a prefeita que citou números positivos da ação. Além da economia com funcionalismo, a questão operacional. Se um médico adoece ou viaja, não há como chamar outro para a vaga e o atendimento sofre. Já via OS, em minutos outro já está na função.

Em seguida foi o prefeito Gean Loureiro (DEM). Caso igual. Recebeu a UPA do Continente com a obra parada. Terminou a parte física e também não poderia contratar os funcionários para tocar a estrutura. Mandou o projeto para a Câmara. Teve protesto, invasão da Câmara por parte do sindicato, bomba de gás, quebra-quebra. Os vereadores entenderam a importância do atendimento à saúde e com coragem não cederam. Aprovaram. Hoje a UPA do Continente é disparado o melhor atendimento da Capital, superando inclusive as UPAs do Sul e Norte da Ilha, onde o atendimento é com servidores públicos.

A ideia não é rivalizar quem é melhor: servidor público ou terceirizados. A ideia é a população receber o atendimento. Se, devido às amarras da LRF não é possível contratar nem abrir novos concursos públicos, o gestor tem que resolver o problema. E, essa é a solução. É claro que vão questionar possíveis falcatruas que possam ocorrer se os dirigentes da OS contratada não ter boa fé. Mas, para isso estão ai dezenas de organismos e mecanismos de fiscalização e controle dos gastos públicos. Hoje em dia o gestor não desvia uma vírgula do que está na lei e já tem ‘trocentos’ fiscalizadores o reprimindo. E não estou dizendo que está errado. A lei está ai para ser cumprida.

Agora, quanto a Caçador, cabe aos vereadores decidir se querem a ampliação dos serviços de saúde em Caçador ou se querem ficar taxados como aqueles que foram omissos com medo da pressão de meia dúzia. É uma questão de responsabilidade com a comunidade.

Organização Social (2)

Além de mais postos abertos durante a noite, com equipes completas, o objetivo da Prefeitura com a Organização Social é também estabelecer atendimento pediátrico durante 24 horas. Lembrando que Caçador já tem diversos exemplos de terceirizações de serviços, através de entidades como a ACEIAS, APAE e Associação Maria Rosa.

Férias

O prefeito Saulo Sperotto (PSDB) deve transmitir o governo para o vice, Alencar Mendes (DEM) nesta segunda-feira (18). Tira alguns dias para descansar um pouco e recarregar as energias para o ano que promete.