Fone: (49) 3567-5699 - E-mail: redacao@jornalinforme.com.br - Av. Santa Catarina, 228 - Caçador - SC

 

orajel munden ømme medicin http://1apotekonline.com/ bedste job inden for sundhedssektoren

Editor: Adriano Ribeiro | Acessar FLORIPA

14/06/2016 19:21

CAÇADOR - Filha mata a própria mãe doente para não cuidar mais dela

por
77394 acessos
DIVULGAÇÃO Valéria (filha da vítima), Leandro (ex-namorado de Valéria) e Priscila (prima) Valéria (filha da vítima), Leandro (ex-namorado de Valéria) e Priscila (prima)
Três pessoas foram presas pela Polícia Civil nesta terça-feira (14), em Caçador, suspeitas da morte de Elenir Aparecida Ribeiro, de 45 anos, cuja vítima faleceu em março deste ano. A polícia apurou que a pessoa responsável pela morte foi a própria filha, Valeria Ribeiro da Silva, 23 anos, juntamente com o ex-namorado, Leandro Matheus Alves Negretti, 24, e a prima, Priscila de Fátima Ribeiro, 23. O motivo seria porque a filha queria se livrar da responsabilidade de cuidar da mãe que estava doente.
 
De acordo com o delegado regional Fabiano Locatelli, Elenir foi morta com uma dose letal de um medicamento, um termogênico que contém Efedrina, o qual foi aplicado na vítima no dia 03 de março. Segundo a polícia, a morte foi forjada pela filha, que inclusive acionou os bombeiros uma hora após o falecimento. A mulher foi sepultada na época como vítima de um infarto.
 
"A filha pra se ver livre do encargo de cuidar da mãe planejou a morte. A Elenir era uma pessoa doente e necessitava de cuidados especiais. [Valéria] conseguiu o medicamento com o Leandro, que é personal trainer de uma academia da cidade", informou o delegado. 
 
A polícia disse ainda que houve duas confissões, mas a principal suspeita do crime, a filha da vítima, preferiu ficar em silêncio. Ainda segundo o que foi apurado pelo inquérito, ela queria reatar o relacionamento com Leandro, mas talvez ele não teria aceitado porque ela se ocupava demais cuidando da mãe.
 
"[Valéria] assistiu a mãe agonizando e pedindo ajuda por mais de três horas. Depois de uma hora que estava morta chamaram os bombeiros pra forjar um suposto socorro. E sepultaram ela  como se tivesse morrido com um infarto", finaliza Locatelli.
 
Os três suspeitos foram encaminhados ao presídio regional de Caçador e ficarão à disposição da Justiça. A prisão foi preventiva, ou seja, não há data para serem soltos. Amanhã o delegado dará mais detalhes sobre o caso.

O Jornal Informe é uma rede de jornais de circulação em Caçador (sede) e Florianópolis. 

Editor: Adriano Ribeiro
Telefone (49) 3567-5699
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Anunciantes e assinatura
 

Impresso - Edição 2912