Prefeito Ari vai buscar reeleição em Timbó Grande e em Caçador Saulo e Cobalchini seguem afinados

Leia também nesta coluna o que muda na Legislação Eleitoral com o adiamento das eleições municipais e a dobradinha por Caçador e região que já começa ser sonhada com Cobalchini para deputado federal e Saulo para deputado estadual em 2022, mas antes, tem a disputa municipal

0
132
Empresário José Adami conversa com o prefeito Saulo e Cobalchini em inauguração de escola nesta sexta (3), em Caçador

Ari Galeski busca reeleição em Timbó Grande

O prefeito de Timbó Grande, Ari Galeski (MDB) já está com sua coligação desenhada para buscar mais um mandato no município. Algumas mudanças serão feitas em relação a aliança que lhe conferiu o primeiro mandato há quatro anos.

As conversas ainda estão abertas, mas desenha-se uma coligação envolvendo MDB, PSD, PDT e PSC. Todos os partidos deverão ter chapas com lista cheia pra disputa por cadeiras na Câmara Municipal.

Deverá ter uma mudança na indicação do nome do vice-prefeito na chapa. O atual vice-prefeito, Amauri Furtado, do PDT, por decisão própria, deverá declinar e concorrer à vereador. Ao que tudo indica comporá a chapa majoritária o atual vereador, Generoso dos Santos Sobrinho, que recentemente assinou ficha no PSD.

Ari vai buscar a reeleição depois de conseguir mudar a administração municipal. Pegou uma cidade quebrada, com dívida milionária com o INSS e fornecedores. Pagou, parcelou, positivou o nome da cidade e conseguiu captar recursos externos. Transformou a cidade em um canteiro de obras, com mais de R$ 2 milhões em investimentos em pavimentações de vias, nova iluminação do centro urbano, construção de pontes em concreto armado no interior, além de investimentos em outras áreas como saúde, educação e apoio ao agricultor.

Prefeito Ari Galeski busca a reeleição

Disputa em Timbó Grande

Mas, para buscar a reeleição, Ari Galeski não terá vida fácil em Timbó Grande. Terá que superar três concorrentes. Entre eles um ex-prefeito, Valdir Cardoso dos Santos (PSDB). Já com experiência e bem amparado financeiramente, Santos promete dificultar os planos do prefeito Ari. Também deverá disputar a prefeitura o candidato do PP Nenê Varela, amparado por uma aliança com o PT e corre por fora um candidato do Podemos, Sócrates Pereira.

Adiadas eleições municipais

Em sessão solene conjunta da Câmara dos Deputados e do Senado Federal na quinta-feira (2), o Congresso Nacional promulgou a Emenda Constitucional nº 107/2020, que determina o adiamento das Eleições Municipais deste ano em razão da pandemia provocada pelo coronavírus (causador da Covid-19). Com a decisão, o primeiro turno será no dia 15 de novembro, e o segundo turno no dia 29 de novembro. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, compôs a mesa da sessão solene ao lado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e do ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN), além de outros parlamentares das duas casas legislativas.

Confira como ficou o novo calendário

Além de adiar as eleições, a Emenda também estabelece novas datas para outras etapas do processo eleitoral de 2020, como registro de candidaturas e início da propaganda eleitoral gratuita. Com a aprovação do novo calendário, não haverá necessidade de prorrogação dos atuais mandatos, uma vez que a data da posse dos eleitos permanece em 1º de janeiro de 2021.

Convenções partidárias e registro de candidatos

As convenções partidárias, que aconteceriam de 20 de julho a 5 de agosto, passam para o período que vai de 31 de agosto a 16 de setembro. Já o prazo final para o registro de candidaturas, que acabaria em 15 de agosto, passou para 26 de setembro. Mas os partidos políticos, por sua vez, ficam autorizados a realizar, por meio virtual, independentemente de qualquer disposição estatutária, convenções ou reuniões para a escolha de candidatos e formalização de coligações, bem como para a definição dos critérios de distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).

Propaganda eleitoral

A propaganda eleitoral terá início a partir do dia 27 de setembro, após o final do prazo para registro de candidatura.

Prestação de Contas e diplomação

Já a prestação de contas dos candidatos (relativas ao primeiro e ao segundo turnos) deve ser apresentada até 15 de dezembro à Justiça Eleitoral, que, por sua vez, deverá publicar a decisão dos julgamentos até o dia 12 de fevereiro de 2021. A diplomação dos candidatos eleitos deve ocorrer até o dia 18 de dezembro em todo o país.

Resoluções

A nova Emenda Constitucional estabelece que o TSE fará as adequações das resoluções que disciplinam o processo eleitoral de 2020, como ajustes nas normas referentes aos prazos para fiscalização e acompanhamento dos programas de computador utilizados nas urnas eletrônicas para os processos de votação, apuração e totalização. Também deverão ser feitas atualizações nos procedimentos relativos a todas as fases do processo de votação e apuração das eleições e processamento eletrônico da totalização dos resultados, para adequá-los ao novo calendário eleitoral.

Além disso, a emenda permite ao TSE fazer mudanças nas regras relativas à recepção dos votos, às justificativas, à auditoria e à fiscalização no dia da eleição, inclusive quanto ao horário de funcionamento das seções eleitorais e à distribuição dos eleitores no período, de maneira a propiciar segurança sanitária a todos os participantes do processo eleitoral.

A emenda constitucional também confere ao Tribunal a prerrogativa de definir os horários de funcionamento das sessões eleitorais e eventuais medidas de distribuição dos eleitores nas sessões para minimizar os riscos de aglomeração nos dias de votação.

Também cabe ao TSE solicitar ao Congresso Nacional a marcação, via decreto legislativo, de datas alternativas de votação em municípios cuja situação sanitária aponte riscos aos eleitores. A data-limite para a realização das votações, nesses casos, será 27 de dezembro.

Prorrogação das eleições

Esta prorrogação das eleições mostra mais uma vez que o prefeito Saulo Sperotto tem uma estrela só dele. Explico: tocador e entregador de obras, o prefeito está com uma penca de coisas em andamento. São praças, reformas de espaços públicos, ampliações de escolas (mesmo que por enquanto sem alunos), laboratório da Saúde, feira do produtor, enfim, dá uma lista enorme.

Se os prazos eleitorais fossem mantidos, Saulo não poderia entregar (ele sempre diz que obra se entrega e não se inaugura) nenhuma dessas. Mas, com a mudança, vai poder entregar todas ou quase todas elas.

Aliás, a maior parte destas obras, que incluem ainda as pavimentações, levam recursos do FINISA, que a oposição insiste em criticar.

Contas em dia

Outra informação importante que Saulo tem revelado nos últimos dias é de que a Prefeitura, finalmente, está com as contas em dia. Depois de ter herdado mais de R$ 38 milhões em dívidas da administração anterior, Saulo conseguiu organizar as finanças, cortar gastos desnecessários e investir em todas as áreas.

Agora, com o caixa redondinho, pode investir ainda mais.

Saulo e Cobalchini afinados

Estão mesmo afinados os dois maiores líderes políticos de Caçador, Saulo e Valdir Cobalchini. A cada semana, o deputado está em Caçador e faz questão de passar pela Prefeitura. Tem destinado diversas emendas para Saúde, Educação e Infraestrutura e, como um bom líder, está contribuindo com Saulo para o desenvolvimento e crescimento de Caçador.

Deveria servir de lição para aqueles que só sabem criticar…

Meus amigos pessoais”

Na entrega das obras da escola Castelhano, o empresário José Adami Neto, da empresa Adami, fez questão de chamar Saulo e Cobalchini de “meus amigos pessoais”. Muito ligado aos dois, Adami é um entusiasta da dupla no Legislativo: Saulo em Florianópolis e, Cobalchini, em Brasília.