A possibilidade real do adiamento das eleições municipais e outras notas

Leia neste coluna também o escândalo da compra dos respiradores que abalou o Governo do Estado; novo secretário municipal em Lebon Régis e outras notas

0
80

Adiamento das eleições

Cresce nos bastidores da política a tese de adiamento das eleições municipais. Tudo ainda está na base das hipóteses, visto que depende da curva do pico da pandemia da Covid-19 no Brasil. Já se chegou a falar em adiar para 2021 e talvez até com a aprovação de uma Reforma Política trabalhar com a unificação das eleições em 2022, prorrogando os atuais mandatos de prefeitos e vereadores.

Porém, recentemente, ventos do Supremo Tribunal Federal e TRE são contrários a não realização do pleito neste ano. A ideia é que exista a diplomação dos eleitos em dezembro, dando início aos novos mandatos normalmente em janeiro de 2021. Desta forma, uma certeza começa ser construída. Pelo andar da contagem de casos e mortes, dificilmente a eleição ocorra em outubro. É forte a possibilidade de o primeiro turno ser transferido para o início de dezembro e segundo turno lá pelo dia 20 de dezembro, com possibilidade de diplomação dos eleitos ainda este ano. Vamos aguardar!

Aprovado projeto em favor da UPA

A Câmara de Caçador aprovou segunda-feira (27), em primeiro turno, o Projeto de Lei que abre crédito adicional especial dentro do orçamento vigente, para a manutenção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no valor de R$ 100 mil.
Segundo a 1ª secretária da Casa, Vereadora Cleony Figur (PSD), a matéria visa abrir nova rubrica dentro do orçamento do Fundo Municipal de Saúde, para que se viabilize transferências regulares do Fundo Nacional para o Fundo Municipal de Saúde. “O projeto, portanto, atende a uma necessidade orçamentária do Município, a fim de que seja possível a aplicação deste recurso também no pagamento dos profissionais que atuam na UPA.”, explica a vereadora.

Escândalo

Que pisada na bola feia essa da compra dos respiradores por valores acima do mercado, pagamento antecipado e sem receber o produto até o momento por parte do Governo do Estado. A pergunta que não quer calar é se foi só inocência e falta de experiência do governador Carlos Moisés (PSL), que nunca governou algo tão grande como o Estado e seus escudeiros, ou se teve má fé e corrupção também no caso. Uma CPI foi aberta por unanimidade na Assembleia Legislativa para investigar o caso. Não é aconselhado se antecipar, mas ao que tudo indica, envolvendo uma empresa praticamente fantasma do Rio de Janeiro e uma laranja como dona, é que coisa boa não cheira esta história. Embarcamos direitinho ao apertar o 17 e cair no papo da Nova Política contra a política tradicional. Que sirva de alerta para o futuro: gestão pública exige experiência e conhecimento profundo da máquina pública.

Caiu

Em função desse escândalo dos respiradores o secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino não aguentou a pressão no cargo e pediu sua exoneração nesta semana. Lembrando que o secretário é amigo pessoal do governador e também é oficial bombeiro militar. Sua exoneração não dirime de explicar essa história e também ser punido em caso de prova de má fé ou corrupção. Chama atenção no caso a informação de um empresário de Joinville de que recebeu uma ligação telefônica da Secretaria de Saúde pedindo R$ 3 milhões para ganhar a venda dos respiradores. O empresário caiu fora e a venda foi concretizada com uma empresa de fachada do Rio de Janeiro. Os valor foi pago, os respiradores não foram entregues ainda e a crise instalada.

Novo secretário

O produtor rural Leandro Medeiros assumiu o comando da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Piscicultura e Meio Ambiente de Lebon Régis. Ele substituiu Clóvis Schregele, que estava à frente da pasta desde o começo do ano passado, e já está desempenhando suas funções.

O prefeito Douglas Mello (PDT) deu posse ao novo secretário e o parabenizou. “O Leandro trabalha neste setor há muitos anos. Ele tem experiência e sabe quais são as principais demandas dos agricultores lebonregenses. Não há dúvidas de que dará continuidade aos projetos que estamos realizando. Nosso compromisso é oferecer serviços eficientes e responsáveis. Uma das bandeiras de nossa gestão é atender a população com dignidade e respeito. A Administração Municipal está à disposição”.

O novo secretário de Agricultura ressalta a importância do setor para o desenvolvimento de Lebon Régis. “O nosso objetivo é auxiliar os produtores rurais, oferecendo acompanhamento e assistência técnica. Este é o principal setor de nossa economia. Devemos continuar garantindo serviços de qualidade. Com o apoio da Administração Municipal, iremos trabalhar em benefício do povo lebonregense”, analisa.

Pico em Junho

Segundo o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), o Executivo vai prorrogar a suspensão para atividades de transporte coletivo, eventos em geral e aulas presenciais das redes pública e privada. A medida é necessária já que o último decreto proibia algumas atividades somente até 30 de abril. No novo texto, a suspensão será por prazo indeterminado.

A decisão já era esperada e foi oficializada em pronunciamento nesta quinta (30). Para o governo, as três atividades são grandes vetores de difusão do vírus e não há projeção para retorno à ativa. “Nós devemos ter a renovação do decreto que mantém suspensão, e as atividades que não estão funcionando seguem sem autorização por prazo indeterminado”, disse Moisés.

“Não há retorno à normalidade. Isso é preciso ser dito. Nossos números ainda são bons se comparados a algumas regiões do Brasil, mas nós precisamos manter a vigilância e também proteger os mais vulneráveis”, afirmou.

“Apesar de nós termos voltado algumas atividades com segurança, com distanciamento, não há normalidade. Nós ainda enfrentaremos o pico desta doença que está previsto para o final do mês de junho”, acrescentou.