Cleony Figur e PSDB conversam; PSD desidrata; confusão no Direito da Uniarp e outras notas

Leia nesta coluna também sobre a força das exportações para puxar a economia de Caçador

0
84

A força exportadora de Caçador

A economia de Caçador é uma das mais fortes de Santa Catarina. Isso está baseado em números. De acordo com os dados, apresentados pelo Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços em outubro, o município é o 7º maior exportador de Santa Catarina e o 138º no Brasil.

No Estado, Caçador fica atrás apenas de Itajaí, Joinville, Jaraguá do Sul, São Francisco do Sul, Blumenau e Gaspar.

Agora, se analisar que antes de Caçador estão dois portos (Itajaí e São Francisco do Sul), que pouco produzem, mas muito e tão somente exportam, o município seria o 5º colocado, entre os 295 municípios.

O volume de exportação de Caçador em 2018 foi de US$ 316,9 milhões, com um crescimento de 2,81% em relação a 2017.

Ao todo, são 26 empresas exportadoras em Caçador, representando 3% das exportações de Santa Catarina, em 2019.

Caçador exporta para 21 países do continente Europeu; 12, no Asiático; 9, no Africano; e, para 3, na Oceania. Na América do Norte são 3 países; na América do Sul, 10; na América Central e Caribe, 24; e para 5 países do Oriente Médio. A maior fatia da exportação fica com os EUA (42%), seguido da China (14%), da Itália (5,6%) e da França (3,8%).

Desde 2015 a cidade registra aumento nas exportações. Destaque para o setor de móveis e madeira (20% de crescimento), sendo a principal exportadora do setor no Estado. Concentra 14% das vendas totais, à frente de municípios como São Bento, Rio Negrinho e Curitibanos. Outro destaque é o setor de couro e calçados, que concentra 70% das exportações de Santa Catarina. Os principais destinos são Estados Unidos, Europa e Ásia.

A força exportadora de Caçador (2)

Caçador conta com mais de 300 indústrias de grande porte, de diversas áreas, fazendo jus ao título de “Capital Industrial do Meio Oeste”, sendo um polo da indústria de base florestal.

Através de suas áreas reflorestadas, o município produz madeira serrada, celulose, papel, papelão, mobília, entre outros derivados, mas conta também com indústrias de produção metalmecânica, plástico, couro/calçadista, confecções, entre outros.

Já entre Microempresas e Micro Empreendedores Individuais, Caçador possui aproximadamente 4 mil estabelecimentos atuantes.

Com isso, Caçador se apresenta como o melhor PIB entre os municípios do Meio Oeste de Santa Catarina.

Além disso, são vários casos de ampliações do parque fabril e aquisições de máquinas e equipamentos, além do interesse de novas ações empreendedoras na cidade que vem fazendo as exportações e a economia local andarem a passos largos ano a ano.

Matrículas

O período para matrícula de novos alunos na rede municipal de ensino de Caçador começou em 11 de novembro e encerra em 29 de novembro, com continuidade em 2020.

Para isso, é necessário que pais ou responsáveis se dirigirem até a escola, portando certidão de nascimento ou RG do aluno, fotocópia da carteira de vacinas, comprovante de residência atualizado, atestado de frequência, CPF do aluno e RG e CPF dos pais.

Operação Cleony

Articulação em curso orquestrada por lideranças de alta plumagem de dentro do prédio azul, vermelho e branco da avenida Santa Catarina indicam forte ação para tirar a vereadora Cleony Figur do PSD. A ideia é que a vereadora, que tem sido pra lá de simpática aos projetos do atual Governo Municipal, reforce a nominata de vereadores do PSDB em 2020.

Operação Cleony (2)

Apesar do peso da mão de quem conduz essa arriscada estratégia de tucanar Cleony, há que se observarem as variáveis. A primeira é o risco: tudo tem que ser muito bem conduzido para a própria vereadora não se queimar politicamente com o PSD. A segunda e mais indigesta nas hostes tucanas é impor a convivência de figuras históricas do partido com a vereadora. Não são poucos os tucanos de alta plumagem que, não simpatizam com Cleony, especialmente com sua forma de agir e atropelar pautas e possíveis concorrentes. Será que vale a pena por uma vereadora colocar em risco um grupo que, a última eleição mostrou, está ganhando?

PSD em frangalhos

Ainda sobre esse assédio tucano em relação à vereadora do PSD, é só mais um caso de liderança que pode ou vai ou já saiu do partido em Caçador. O partido está ladeira abaixo. Depois do resultado das eleições estaduais, quando perdeu o Governo do Estado e suas principais lideranças (o ex-governador Raimundo Colombo e o ex-deputado Gelson Merísio) terem sido reduzidas a pó no cenário político estadual, não tem sobrado muita gente para levantar a bandeira do partido no município. Talvez por isso o movimento em torno de tirar a vereadora Cleony da sigla. Não será ela a última a apagar a luz e ainda ver sua reeleição complicada, num cenário novo em que estão proibidas as coligações proporcionais e cada partido terá que garantir seu coeficiente para eleger seus vereadores. É a tal história, na hora de sentar-se à mesa falta cadeira, na hora de pagar a conta não fica um.

Namoro

O ex-prefeito Beto Comazzetto, recém-saído do MDB estaria namorando o PSB. Terá casamento?

Bafão do direito

Bafão na coordenação do Curso de Direito da Uniarp. A monografia de um acadêmico virou caso de polícia. A ata do colegiado de avaliação do trabalho é peça agora de um Boletim de Ocorrência. O trabalho do aluno teria sido reprovado por suposto plágio, mas o aluno contesta o trâmite entre o colegiado e a banca. Na Justiça um inquérito policial foi instaurado para investigar falsidade ideológica, uma vez que há suspeita de falsificação de assinaturas. O aluno reclama de perseguição por livre manifestação em contrariedade a algumas decisões da reitoria da instituição. Como o caso está na Justiça, vamos aguardar e acompanhar as investigações para não cometer injustiças. Que tudo seja esclarecido e se alguém da instituição ou o próprio aluno agiu de má fé, que seja punido. Afinal, o nome da instituição, que os caçadorenses dedicaram-se tanto para criar, não pode ir parar na página policial por vaidades pessoais.