Cobalchini em audiência com o governador; Gilberto Seleme com Paulo Guedes e outras notas

Cobalchini em audiência com o governador; Gilberto Seleme com Paulo Guedes; a busca pela reativação do transporte intermunicipal entre Canoinhas e Timbó Grande e outras notas

0
59

Cobalchini em audiência com o governador

Deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB) foi recebido em audiência pelo governador Carlos Moisés (PSL) nesta semana. Na pauta uma série de demandas importantes, inclusive para a região de Caçador. “Muito satisfeito com a receptividade do governador e do secretário Douglas Borba a esses importantes pedidos que os catarinenses fazem através de mim”, comentou o deputado

Na audiência foi tratado da recuperação de rodovias que exigem pronta atenção do Governo do Estado. São elas: a SC 135 – Entre Matos Costa e Porto União; a SC 477 – Entre Canoinhas e Major Vieira (BR 116); a SC 350 – Entre Lebon Régis e a BR 116; a SC 350 – Entre Caçador e a BR 153 e a SC 305 – Entre São Lourenço do Oeste e Campo Erê.

De acordo com Cobalchini, além da inclusão dos trechos no programa Recuperar do Governo do Estado, aquelas com projeto pronto serão contempladas por um amplo trabalho de revitalização, pedido esse feito pelo deputado. É o caso da SC-135, que já tem projeto e já foi feita a licitação. O trecho entre Caçador e Rio das Antas será executado com recursos próprios e em breve o governador estará em Caçador entregando a ordem de serviço. Já de Rio das Antas até Videira será com recursos de financiamento.

Programa habitacional

Além disso, na audiência o deputado Cobalchini também mostrou ao governador Moisés um projeto habitacional idealizado pelo prefeito de Irati, Neuri Meurer, que viabilizou construções de residências de madeira de baixo custo ao município. A ideia é que o Governo possa reproduzir essa iniciativa em todo o Estado, proporcionando habitação popular aos catarinenses. Uma habitação dessa custa R$ 24,6 mil a unidade. Na audiência também foram tratados outros assuntos como investimentos necessários no aeroporto de Caçador, que serão feitos através do repasse dos recursos para a prefeitura.

Engessados

Grande reclamação dos prefeitos é baseada na interferência do Ministério Público. Com um poder acima do normal, promotores e procuradores passam a ditar o ritmo e a execução das ações e obras por todo o país.

Existem prefeituras aonde um setor inteiro chega a trabalhar um mês inteiro em prol de exigências do MP. Mas, se ainda fossem ações prioritárias e que afetassem a vida do cidadão, tudo bem. O problema é que são exigências a esmo, de promotores de gabinete e que nunca saíram para as ruas para verificar a real situação da cidade onde atuam.

Muitos prefeitos já chegaram a oferecer a chave da Prefeitura para promotores, para que, já que exigem tanto, que assumam o cargo e executem tudo que quiserem.

É… literalmente, a interferência do MP está inviabilizando as prefeituras. Vai mudar? Duvido!

Golpe do Whatsapp

Vereador e advogado, Rubiano Schmitz (PP) informa que foi vítima de um golpe na sua conta de Whatsapp. Veja o comunicado divulgado por ele: “Pessoal, infelizmente meu número de celular/WhatsApp foi rackeado e há pessoa (as) se passando por mim e pedindo dinheiro emprestado à minha lista de contatos. Informo a todos que as medidas cabíveis já estão sendo tomadas e peço aos amigos que, ao receberem mensagem desta natureza, ignorem ou denunciem, haja vista que não se trata de informação verídica. Desde já agradeço a compreensão de todos”.

O golpe e a piada

A galera que perde o amigo, mas não a piada, já saiu falando que isso é coisa do Rubiano pra levantar um troquinho antecipado pra campanha do ano que vem, óbvio, tudo maldade. Agora, falando sério, uma baita de uma sacanagem esses golpes. Além de mexer com os amigos e familiares da pessoa ainda deixa qualquer um totalmente desnorteado. Obviamente que para cessar o golpe a pessoa precisa desativar sua conta de whatsapp e hoje em dia sem o “zap” não somos nada. Pior ainda que o advogado Rubiano  não foi a única vítima do golpe. Só em Caçador, nesta semana, umas quatro pessoas reclamaram de igual ação da bandidagem.

Feirão do Imóvel

O Núcleo Imobiliário Acic realizou dias 27 e 28 de setembro o segundo Feirão do Imóvel de Caçador, com patrocínio da Caixa Econômica Federal. Cerca de 1,5 mil pessoas passaram nos dois dias de evento, no subsolo do Meta Hall que teve a participação de mais de 20 expositores.  O evento buscou realizar o sonho da casa própria, com um espaço onde o cliente pode conhecer tudo o que precisa em um único ambiente, com todas as opções de mercado e a Caixa auxiliou essas pessoas a realizarem seus sonhos.

Com o homem do cofre

O 1º vice-presidente da FIESC Gilberto Seleme participou nesta sexta-feira (4) de audiência com o ministro da Economia, Paulo Roberto Guedes, no Rio de Janeiro (RJ). O ministro se reuniu com lideranças empresariais. Na pauta: Apresentação do setor industrial catarinense e as perspectivas de crescimento econômico do Estado. Também foram discutidas as reformas que estão acontecendo no País.

Transporte intermunicipal

Prefeito Ari Galeski (MDB) é incansável na sua luta pela pavimentação do acesso entre Canoinhas e Timbó Grande, criando um novo trajeto viário no Meio-oeste. Mas, enquanto o asfalto não sai, ele briga pelo básico, ao menos o transporte público. Nesta semana ele teve audiência na Secretaria de Estado da Infraestrutura, juntamente com o prefeito de Canoinhas, Gilberto dos Passos, com o presidente da Câmara de Canoinhas, Célio Galeski. Na reunião, com o gerente de Operações Tonolli, foi solicitado o retorno da linha de transporte para atender as populações dos dois municípios, além de outros municípios como Bela Vista do Toldo e Iriniópolis.

Ponte interditada

A ponte, na Linha Tamanduá, será interditada a partir da próxima semana. As condições estruturais da passagem estão bastante precárias e, por conta disso, a Secretaria de Infraestrutura irá atuar naquele local. Na comunidade de Tamanduá são três pontes e, a que será interditada é a ponte dos Moriggi. “Pedimos para que os moradores utilizem rotas alternativas durante este nosso trabalho, que poderá durar até 30 dias. É uma obra que poderá ser bastante delicada, devido à situação em que se encontra a ponte”, explicou o secretário de Infraestrutura, Amarildo Tessaro.