Abertas inscrições para o Vestibular de Verão UNIARP/ACAFE

As inscrições podem ser feitas até dia 07 de outubro de 2019. A UNIARP oferta vagas em 17 cursos de graduação em Caçador e quatro cursos de graduação em Fraiburgo

0
8

Estão abertas as inscrições para o Vestibular de Verão ACAFE 2020/1. As inscrições podem ser feitas até dia 07 de outubro de 2019. A UNIARP oferta vagas em 17 cursos de graduação em Caçador e quatro cursos de graduação em Fraiburgo. As inscrições devem ser feitas pelo site da Acafe.

Cursos em Caçador: Administração, Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Contábeis, Direito, Educação Física Bacharelado, Educação Física Licenciatura, Enfermagem

Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Farmácia, Fisioterapia, Pedagogia, Psicologia, Sistemas de Informação e Tecnologia em Estética e Cosmética.

Cursos em Fraiburgo: Administração, Ciências Contábeis, Direito e Psicologia.

Ensino superior garante emprego e renda maior

No Brasil, quem tem diploma ganha mais que o dobro do trabalhador com ensino médio. É o que mostra comparação feita pelo IBGE de dados brasileiros com os das nações que integram a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Enquanto uma pessoa com o diploma universitário no Brasil ganha 2,5 vezes mais do que alguém com ensino médio, a média na OCDE, para um conjunto de 46 países (36 membros + 10 afiliados), era de 1,6 vezes mais.

Um levantamento feito entre 2015 e 2016 pela Relação Anual de Informações Sociais (Rais) – do Ministério do Trabalho – apontou a taxa de criação de vagas entre os diversos níveis de escolaridade. As vagas que exigiam nível superior cresceram 1,46%, enquanto que a taxa das vagas disponíveis para pessoas menos escolarizadas decresceu: -12,39% para pessoas com Ensino Fundamental completo e -3,06% para quem concluiu somente o Ensino Médio.

Outra pesquisa, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelou que o desemprego afeta mais os trabalhadores sem nível superior.

A taxa de desemprego para aqueles que não concluíram o ensino médio chegou a 20%, contra 6,2% para os trabalhadores com ensino superior, considerando o índice de desemprego no Brasil de 11,8% (dados referentes ao último trimestre de 2017).

Ao mesmo tempo em que o nível escolar influencia no acesso ao mercado de trabalho, ele também contribui para o aumento da renda das pessoas. Estatísticas do Cadastro Central de Empresas (Cempre) de 2016 – administrado pelo IBGE – mostraram a diferença salarial na divisão por grau de instrução. A pesquisa revelou que o pessoal sem nível superior recebeu, em média, 2,1 salários mínimos e o pessoal com diploma, 6,3 salários mínimos.

Com informações: Agência O Globo